fbpx
l

Ut wisi enim ad minim veniam, quis laore nostrud exerci tation ulm hedi corper turet suscipit lobortis nisl ut

Recent Posts

    Sorry, no posts matched your criteria.

Image Alt

Oftalmologia RPL

Catarata: por que falar sobre esse assunto?

Catarata: por que falar sobre esse assunto?

A catarata é uma lesão ocular que atinge o cristalino dos olhos e, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) no ano de 2019, a catarata é responsável por cerca de 51% dos casos de cegueira no mundo, o que representa, aproximadamente, 20 milhões de pessoas. A Sociedade Brasileira de Oftalmologia estima que cerca de 550 mil novos casos surgem a cada ano.

Vamos te explicar melhor sobre esse assunto, te mostrando os sintomas, as principais causas e a importância em procurar ajuda profissional. Confira a seguir.

 

O que é a catarata?

Dentro de nossos olhos temos uma lente natural, que recebe o nome de cristalino e fica localizado na porção anterior dos olhos, entre a íris e o humor vítreo. Ele é transparente e responsável por proporcionar um melhor foco daquilo que enxergamos. Quando um paciente é acometido pela catarata essa transparência é afetada e a visão se torna turva.

Explicando de forma mais cotidiana: o cristalino funciona de forma muito parecida como a lente de uma câmera fotográfica, modificando seu formato e mudando a trajetória da luz, para que haja a formação de uma imagem nítida na retina. Lembrando que a catarata é uma das principais causas da cegueira reversível no mundo.

Um fato curioso é que o cristalino é uma lente convexa, que cria uma imagem invertida formada sobre a retina. Dessa forma, o cérebro a inverte a imagem para que você tenha a percepção das imagens ao seu redor.

 

Tipos de catarata

Essa doença, normalmente, faz parte do processo natural de envelhecimento do ser humano, afetando, principalmente, pessoas acima dos 50 anos. Contudo, a catarata não atinge somente a terceira idade, existem outros fatores que podem fazer com que uma pessoa tenha predisposição para a doença.

Hereditariedade, traumas oculares, diabetes e uso de corticoides também podem fazer com que o paciente desenvolva a doença.

Além disso, existem algumas variações da catarata com características e tratamentos diferentes, conheça a seguir:

 

Catarata congênita

Como o próprio nome sugere, esta classificação se aplica aos casos de catarata em recém-nascidos. Quando atinge crianças mais velhas, passa a ser chamada de catarata pediátrica. A catarata congênita está associada a infecções contraídas pela mãe durante a gestação, como rubéola, sífilis e toxoplasmose, por exemplo.

Catarata secundária

Este tipo de catarata costuma surgir como consequência a fatores variados, tanto oculares (uveítes, tumores malignos, glaucoma, descolamento de retina) como sistêmicos, associados a traumatismos, moléstias endócrinas, uso de determinadas medicações, traumatismos elétricos, entre outras situações.

Catarata senil

Aqui, ocorre a opacidade do cristalino em consequência de alterações bioquímicas relacionadas à idade. Aproximadamente 85% dos casos de catarata são classificados como senis, com maior incidência na população acima de 50 anos. Nesses casos, não é considerada uma doença, mas uma consequência natural do processo de envelhecimento.

 

Sintomas da catarata

Entender um pouco mais sobre os sintomas causados pela catarata é essencial para que você saiba o que fazer a fim de buscar um diagnóstico precoce.

Dentre os sintomas mais comuns estão:

 Diminuição da acuidade visual: o indivíduo passa por dificuldades em definir visualmente contornos e formas, como objetos, letras e pessoas. Tudo ao seu redor é visto de forma borrada e disforme;

 Visão nublada: a sensação é de que tudo está esbranquiçado, como se o paciente estivesse sempre em um local nublado;

 Sensibilidade à luz: a pessoa tem uma sensibilidade maior à luz, tanto natural quanto artificial. Conhecido também como fotofobia, esta sensibilidade atrapalha ao dirigir, por exemplo, pois as luzes dos faróis, principalmente a noite, tendem a se espalhar e borrar ainda mais as imagens.

 Alteração na percepção das cores: aqui o indivíduo tem dificuldades em distinguir cores e os tons que se assemelham com precisão.

 Visão dupla: a catarata também pode causar duplicidade das imagens, fazendo com que o paciente tenha dificuldade para executar tarefas rotineiras e enxergar pequenos objetos. Assim, é importante estar atento aos primeiros sinais de problema.

 

Catarata: é importante conhecermos essa doença!

Em seu estágio inicial, pode passar despercebida, pois o paciente vai se adaptando às modificações visuais, o que pode acarretar em danos que, mesmo que reversíveis, causam algum tipo de desconforto no paciente. Infelizmente, neste estágio, é mais difícil que a doença seja diagnosticada.

Lembrando que é indicado que todos passem pelo oftalmologista pelo menos uma vez ao ano. Se o paciente já sofrer com algum tipo de doença ocular ou tiver histórico familiar de doenças relacionadas aos olhos, é indicado que esse tempo diminua para seis meses.

 

Considerações finais

Você, que está lendo este artigo, está com algum dos sintomas de catarata, neste exato momento? Se estiver, é importante buscar atendimento médico especializado!

Cuide de sua saúde ocular e continue enxergando tudo o que há de mais lindo ao seu redor. Se você tiver dúvidas sobre a catarata ou qualquer outro tema relacionado à saúde ocular, entre em nossas redes sociais, pois lá temos conteúdos novos todos os dias para te manter informado e por dentro das novidades na área oftalmológica.

Aproveite para agendar seu check-up com um de nossos oftalmologistas! Entre em contato conosco e fale com nossa equipe.